A Academia de Ciência

A situação do ensino das Ciências nas escolas públicas

O Saresp, exame de avaliação das escolas de rede estadual de São Paulo mostrou que somente 6,7% dos alunos que concluíam o Ensino Médio em 2012 apresentavam conhecimento em Ciências em nível adequado.  A dificuldade da rede pública de ensino do Estado mais rico do Brasil para gerar profissionais para as áreas de Ciências e Tecnologia se evidencia com os demais resultados: 39,4% dos alunos apresentaram apenas o nível básico e 53,4% apresentaram desempenho abaixo do básico.

Este cenário caótico em que se encontra o ensino público de Ciências, certamente não supre a demanda do mercado de pessoas com competências mínimas para interagir com o conhecimento científico e tecnológico que, atualmente, toda profissão exige.

Frente a esta situação, o Instituto Braudel realizou em 2005 um seminário para discutir os rumos do ensino público de Ciências. As discussões realizadas deixaram claro a necessidade de ações de intervenção no sentido de reverter essa situação e criar possibilidades para que os jovens tenham acesso ao ensino de Ciências de qualidade.

A Academia de Ciência iniciou-se como um piloto em 3 escolas da periferia de São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo. O projeto dá suporte aos professores de ciências para o planejamento e desenvolvimento de atividades experimentais, incluindo o apoio para a organização, o uso e a manutenção dos laboratórios, considerando o conceito de materiais de fácil acesso e baixo custo. Fora do horário das aulas, o projeto oferece, semanalmente aos alunos, experiências científicas em laboratório, leituras e visitação a feiras, exposições, universidades e museus. Também organiza encontros com cientistas e profissionais de tecnologia a fim de ampliar as perspectivas dos jovens sobre carreiras científicas e tecnológicas. Atualmente, a Academia de Ciência está presente em escolas de São Bernardo do Campo e Guaratinguetá.

 

Missão

Melhorar a qualidade do ensino e aprendizagem de ciências por meio de ações junto a professores e alunos de escolas públicas.

 

Proposta e objetivo

Alunos: Através da iniciação científica, despertar a curiosidade, melhorar o desempenho e identificar a vocação científica a fim de ampliar as chances de sucesso profissional de alunos de ensino Fundamental e Médio.

Professores de Ciências: Apoiar a formação prática contínua para o planejamento e realização de aulas com o uso eficaz de recursos e métodos diferenciados e a realização de experimentos científicos. Identificar professores com elevado potencial de inspiração e disseminação de boas práticas.

 

Objetivo específicos:

  • Promover o acesso e o interesse pelo aprendizado das ciências entre alunos da rede pública de ensino, desenvolvendo as competências científicas, reduzindo o déficit crônico de conteúdos no ensino das disciplinas de Ciências Naturais, Biologia, Física e Química.
  • Reduzir o déficit crônico de profissionais nas carreiras científicas e tecnológicas no Brasil que coloca em risco a economia do país frente aos desafios da sociedade da informação e da globalização.
  • Identificar alunos com desempenho diferenciado para torná-los multiplicadores do projeto e estimular seu ingresso em carreiras científicas e tecnológicas.
  • Disseminar estratégias e recursos para o ensino de Ciências, que possam ser utilizados por professores e escolas interessadas.
  • Contribuir para a formação pessoal dos jovens, desenvolvendo conhecimentos para a vida, tais como: vontade de aprender, organização e concentração, senso de responsabilidade e autonomia, respeito às normas de convivência, facilidade de comunicação e capacidade de argumentação.

Observar o DNA de um morango, construir um controle remoto, extrair pigmentos vegetais, estudar as leis de Newton através do movimento de um foguete movido a hidrogênio. Essas são algumas das experiências vivenciadas pelos participantes da Academia de Ciência.

 

O Instituto Fernand Braudel

Criado em 1987 por um grupo de homens públicos e lideranças cívicas, o Instituto Fernand Braudel de Economia Mundial é uma associação sem fins lucrativos que desenvolve pesquisas, projetos, debates públicos e ações sociais em busca de soluções para os problemas institucionais que ameaçam a estabilidade e o desenvolvimento do Brasil e dos países da América Latina.

Desde 2000 o Instituto Braudel percebeu sua vocação também para o desenvolvimento de ações diretas de forte impacto público. Esta vocação avançou para a área do Ensino Público, com o projeto Círculos de Leitura, desde 2001, e a Academia de Ciência (2006).

 

Nossa equipe

Coordenador Geral
Prof. Ms Ricardo Pasin Caparrós

Coordenadora Regional
Profª Dra Paula Soares

Assistente de Projetos
Lucas Forni Miranda

Assistente de Comunicação
Givanilson L. Góes