Por Gabriela Takeda de Castro, Projeto Academia de Ciência

Aurora Borealis in Manitoba

Já ouviu falar em Aurora Boreal ou Aurora Austral? Aquelas luzes fascinantes e coloridas que aparecem nos filmes. Talvez! Mas você sabe explicar de onde elas se originam?

A Academia de Ciência explica esse fenômeno celeste. O lindo véu de luzes é formando por causa dos ventos solares carregados de partículas energizadas de prótons e elétrons. Esses ventos originam-se constantemente de erupções solares, e se intensificam a cada 11 anos por conta da atividade magnética do Sol.

O vento solar atinge a magnetosfera, as linhas de força magnética que envolvem a Terra. As partículas energizadas se chocam com as moléculas de oxigênio e nitrogênio presente em nossa atmosfera a uma velocidade de 1,4 milhões de quilômetros por hora, resultando a 100 km acima da superfície da Terra as Auroras Polares.  A formação da aurora libera tanta energia quanto de uma usina hidrelétrica e pode até afetar as transmissões de rádio, radares e satélites da região. Essa energia é liberada na forma de ondas e podemos enxergar luzes coloridas, como se atmosfera fosse um tubo de televisão.

Em 1621 um estudioso observando o movimento dos astros no céu do norte da Europa, nomeou a cortina de luzes como Aurora Boreal (da mitologia grega, Bóreas, o deus do vento norte). O navegador inglês James Cook presenciou a aurora sobre o Oceano Índico e a nomeou de Aurora Austral. Logo se chama Aurora Boreal o fenômeno ocorrido ao pólo Norte e Aurora Austral ao pólo Sul. Após entender o magnetismo da Terra, sendo nos pólos onde existe maior atividade magnética, Elias Loomis descobriu que ocorria uma aurora polar depois de 20 a 40 horas de uma erupção solar.

Esse fenômeno pode ser visto somente nos países frios do pólo da Terra, onde a luz do Sol quase não aparece. Ao norte do Canadá entre 66º e 77º de latitude, durante um clima favorável, céu claro e longe das luzes da cidade, observa-se a fúria do Sol incendiar noite ainda mais nitidamente.

‘’ Aurora Boreal é um doce sopro vindo do Sol ’’, pesquisador norte europeu Helge Nylund.

Vídeo com imagens em Time-lapse do fenômeno: http://www.youtube.com/watch?v=iLF8UwXm30A

Tags: