Por Lucas Forni Miranda, Projeto Academia de Ciência

Quando a maioria das pessoas se depara com algum anfíbio (sapo, rã ou perereca) um sentimento de medo ou receio costuma tomar conta desta pessoa. Os medos mais comuns são de seus poderosos venenos e do famoso “xixi” que, supostamente, pode deixar uma pessoa cega.

Bom, quanto ao “xixi” do sapo cegar podem ficar tranquilos a partir de agora, pois a urina destes animais é inofensiva a qualquer ser vivo e sobre os venenos, a grande maioria das espécies não são venenosas.

Apesar disso, duas famílias do grupo dos sapos são famosas por seus venenos. A família Bufonidae, que é a dos conhecidos sapos cururus, secretam o veneno de glândulas localizadas atrás dos olhos e a família Dendrobatidae que é composta por pequenos sapos entre 2 e 4 cm de comprimento (sem contar as pernas), possuem coloração bem forte e viva, veneno por todas a pele e estão entre os animais mais venenosos do mundo. Um simples toque nesses animais pode ser fatal.

A origem do veneno destes animais se deve ao fato de que sua alimentação é rica em formigas que, por sua vez, se alimentam de plantas venenosas. O sapo mais venenoso da família Dendrobatidae é o Phyllobates terribilis. Este é o animal mais venenoso do mundo com a capacidade de produzir 28 gramas de veneno. Apesar de pequena, esta quantidade é suficiente para matar 1500 pessoas.

O sapo Phyllobates terribilis é tão venenoso, que 28 gramas de seu veneno pode matar 1500 pessoas. (Foto: Wikimedia Commons)

A família Dendrobatidae ocorre na região Amazônica e Central do país, e um fato curioso é que antigamente alguns dos animais deste grupo eram utilizados por tribos indígenas que passavam as pontas das flechas na pele destes sapos para envenená-las. Os índios usavam as flechas com veneno para caçar ou se defender de outros animais.

Tags: